Coleta seletiva conta com sete mil novos pontos em PG

Após um ano da primeira ampliação, coleta seletiva porta a porta passa a contemplar 28 setores em toda a cidade, passando de 80% do território

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, está ampliando o programa Ponta Grossa Sustentável, com um cronograma de coleta seletiva no sistema porta a porta que atenderá mais de 80% do município, aumentando de 22 para 28 setores contemplados. Em junho do ano passado, a SMMA já havia realizado ampliação de 5 para 22 setores, o que resultou no crescimento de 320% no montante médio de material destinado às associações de recicladores, no comparativo entre as médias mensais de coleta antes e após a ampliação.

“Desde 2018 a SMMA tem trabalhado muito duro para ampliar o programa da coleta seletiva. Os números mostram que o trabalho da nossa equipe está tendo resultados excelentes. Em 2019 começamos com tudo. Já são mais de 736 mil quilos de recicláveis coletados até o mês de maio, média superior a 122 mil quilos no mesmo período em 2018, média 30% maior. Com a ampliação de 22 para 28 setores neste mês, atingimos 90 mil domicílios e comércios atendidos pela coleta porta a porta, com cobertura superior a 80% do território urbano de Ponta Grossa”, detalha o secretário de Meio Ambiente, Paulo Barros.

Antes mesmo da ampliação do sistema porta a porta, a coleta seletiva já contemplava 100% do Município. Mesmo os bairros que ainda não contam com a passagem do caminhão, podem garantir a destinação correta dos resíduos através do descarte dos recicláveis nos Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), instalados próximos a escolas e Cmeis, mercados e região central de Ponta Grossa. Os bairros que agora contarão com a passagem do caminhão da coleta seletiva já receberam orientações da concessionária sobre o cronograma do serviço. A orientação à população é que destine os recicláveis em sacos da cor azul ou verde, deixando os sacos pretos apenas para os resíduos orgânicos.

“O percentual de recicláveis, em comparação com o total de resíduos gerados na cidade, ainda é pequeno. Essa quantidade poderia ser maior se mais pessoas separassem seus resíduos. É justamente isso que queremos estimular com a ampliação do ‘porta a porta’.  Além disso, também reforçamos a equipe de Educação Ambiental, com equipamentos, uma nova van, o personagem PEVMan, para que possamos divulgar em toda cidade e nas escolas, o nosso programa de coleta seletiva. Com a divulgação e a educação ambiental, a gente espera melhorar cada vez mais a coleta seletiva pelos índices de materiais coletados”, destaca Barros.

Até o momento, são destinadas às associações de recicladores cerca de 250 caminhões com resíduos recicláveis mensalmente. Com a ampliação, a meta é que esta quantidade dobre, garantindo também aumento de rendimento para as famílias que dependem da separação e venda desses materiais para geração de renda. Para isso, a colaboração da população é fundamental nesse processo.

“De todo o material destinado às associações, temos uma estimativa de que 30% dele não seja reciclável. É importante que a população tenha em mente que se o material estiver sujo com matéria orgânica, não poderá ser aproveitado na separação. Se todas as famílias e comércios da cidade separarem seus resíduos entre recicláveis e orgânicos e fizerem a destinação dos recicláveis limpos, todos ganham: o meio ambiente, com a destinação de uma quantidade de resíduos cada vez menor para o aterro, e os recicladores, que terão a chance de gerar maior renda”, aponta a coordenadora da Divisão de Educação Ambiental da SMMA, Andreia Aparecida de Oliveira.

Saiba mais

Quer saber quais são os bairros contemplados ou como descartar corretamente seus resíduos? Confira as informações no site da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *