Inquérito constata que crianças não foram trocadas em hospital de PG no mês de maio

Cerca de quinze pessoas foram ouvidas entre familiares, funcionários do hospital, do serviço funerário e do cemitério.

No mês de maio desse ano, mais precisamente no dia 17 daquele mês, uma mãe alegou que o corpo de sua filha que entrou em óbito poucos dias após o nascimento, teria sido trocado pelo de outra criança em uma maternidade da cidade. O inquérito do caso foi concluído pela Polícia Civil.

O corpo da criança enterrada passou pelo procedimento de exumação no dia 24 de maio, sendo realizadas ainda perícias e coletado material para exame de DNA. A investigação, juntamente com o resultado do exame de DNA, levou a Polícia a descartar qualquer possibilidade de as crianças terem sido trocadas no hospital.

O que houve de acordo com a investigação foi o equívoco por parte de uma funcionária do hospital no momento em que a mesma apontou o corpo de outra criança, acreditando ser o da filha da denunciante, quando na realidade esta já tinha sido retirada do necrotério pela funerária. Mediante esse fato, a mãe acabou vestindo e retirando a pulseira do corpo de outro bebê.

Concluído o inquérito, o procedimento será encaminhado ao Ministério Público e ao Poder Judiciário para análise.

Com informações da Polícia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *