Pavimentação: Ponta Grossa chega à marca de 100 milhões em asfalto

O Prefeito Marcelo Rangel recebeu nesta terça-feira (25), secretários municipais e vereadores para anunciar o investimento de mais R$ 30 milhões, completando o valor de R$ 100 milhões para pavimentação. “Este é o maior anúncio na história de Ponta Grossa em infraestrutura asfáltica”, adiantou Rangel, acompanhado da Vice prefeita Elizabeth Schimdth 

Os R$ 100 milhões para pavimentação, fazem parte do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento), programa da Caixa Econômica Federal para dispor recursos de pavimentação aos municípios. Dos R$ 55 milhões liberados pelo programa, R$ 45 milhões já foram licitados. O outro valor  é de R$ 30 milhões, que foram aprovados pelos vereadores na última quarta-feira (19), que devem ser licitados dentro de 90 dias, bem como o valor complementar de R$ 15 milhões que já foram aprovados pelo Paranacidade. Há valores que não foram contabilizados desta quantia, mas que são significativos com pavimentações realizadas pela Companhia Pontagrossense de Serviços (CPS), Secretaria Municipal de Serviços Públicos e pavimentações dos condomínios Sociais, que também precisam de aprovação por parte da Prefeitura. 

“O valor de R$ 15 milhões para projetos de asfalto deve ser finalizado dentro de 40 dias para licitação. O andamento para que as quadras sejam finalizadas está totalmente dentro do prazo, com isso o desenvolvimento da cidade está cada vez mais aparente”, explica o Secretário de Infraestrutura e Planejamento, Celso Sant’Anna. 

Antes de passar pela licitação, a Secretaria de Infraestrutura e Planejamento precisa realizar anteprojetos, projetos técnicos, para só então finalizar o processo.  “Em 2013, Ponta Grossa contava com 49% das ruas asfaltadas. Hoje esse número ultrapassa os 80%. Até o final do mandato temos a expectativa de licitar 90% de quadras para pavimentação”, diz Rangel.

A linha de crédito concebida pela Caixa Econômica Federal exige que a Prefeitura esteja com as contas em dia. A instituição financeira avalia demonstrativos financeiros e contábeis do órgão público para que se prove possível a responsabilidade no pagamento das parcelas. “Cotamos essa possibilidade e solicitamos autorização a Câmara Municipal de Ponta Grossa, mostrando que se trata de uma operação com 120 meses de para pagamento (com uma carência de 24 meses e 96 de pagamento) com uma taxa de 0,4% ao ano. Após aprovado pela câmara, levamos os documentos ao Ministério da Economia e ao Tesouro Nacional para ser avaliado e só posteriormente aprovado”, explica o Secretário Municipal da Fazenda, Claudio Grokoviski, que complementa dizendo que a cidade já pode pleitear novos recursos. 

Com informações da Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *